E daí?

.Aí o cara entra no bar sujo. Senta no fundo, fuma um cigarro pela metade.
-Escuta aqui, camarada. Desta noite não passa, ouviu bem? Ou você faz o serviço ou acorda amanhã no fundo do lago calçando sapatos de concreto.
-Tá certo, chefia. Vou providenciar alguma coisa.
.Mas o outro não esperava o golpe repentino. Ao preparar-se para deixar a cena, ajeitando a capa-de-chuva, é surpreendido com uma bengalada na nuca.
-E não volte nunca mais!
.Então é ela quem aparece na porta, deslumbrante. Atrai todos os olhares, ajeita o cabelo e tira a máscara. Ajeita o bigode e saca a metralhadora giratória. Deixa o lugar em pedaços.

* * *

Em breve novidades em algumas revistas por aí.

Um comentário:

Paulo Gerloff - Revista Banda Grossa disse...

Melius, as revistas que te mandei pelo correio retornaram. deve ter sido porque o meu 6 (da caixa postal) ficou parecendo um 0. Vou enviar novamente, brother.